terça-feira, 20 de dezembro de 2011

RAIDóTUA


fotos by Carlos Marinho

O TUA é de TODOS…
Foi assim que o CLAC - Clube de Lazer Aventura e Competição do Entroncamento, contribuiu para a causa do Vale do Tua. Ao organizar o RAIDóTUA, levou consigo doze amigos que tinham como objectivo fazer os 47 km em autonomia de toda a linha desactivada. Quase mil fotografias tiradas que ficaram na nossa memória. E assim divulgámos toda a beleza de uma zona lindíssima com um grande potencial turístico. Para finalizar, um sentimento de tristeza e impotência que se apodera de nós, que depois de mais de 40 km paradisíacos, o desventrar das fragas que não resistiram à condição humana.
A 9 e 10 de Dezembro de 2011

João Pimenta – CLAC – Entroncamento

sábado, 17 de dezembro de 2011

Linha do Tua é a morte anunciada dos Transmontanos

 São poucas as coisas de que os transmontanos se podem orgulhar, além do bom vinho, do fumeiro, e do azeite reconhecido mundialmente, temos o rio Tua e a linha que acompanha o seu serpenteio. Estamos a falar do último rio selvagem em Portugal, à beira da extinção logo a seguir à morte anunciada e executada no Rio Sabor.
Deveria ser criada uma linha turística de excelência, com viagens do Porto (São Bento) ao Tua e do Tua a Mirandela. De certeza que esses turistas iriam ficar maravilhados e regalados com o encanto do vale do Douro (ainda Património da Humanidade) e com o vale do Tua com a sua beleza natural. Davam lucros ao comércio tradicional, hotéis, restaurantes, industria, vendiam-se o bom vinho, o queijo, o fumeiro, as azeitonas, alcaparras, artesanato e o ouro da região, o Azeite.
Se querem revitalizar a economia local daquela terra é com este tipo de projectos que o devem fazer. A Pasta do Turismo deveria projectar esta região para o estrangeiro como fazem com a imagem de marca "Allgarve".
Qual é o custo benefício do projecto da barragem do rio Tua? O custo é, sem dúvida, a morte dos transmontanos e da região, esse é muito alto... mais alto de que qualquer estudo encomendado que demonstre que a barragem trás benefícios para esse povo! Não há estudos que vão contra a raça do transmontano, a linha pertence-lhes pois trata-se de um legado deixado pelos seus antepassados! E o governante que acabar por destruir o rio e a linha do Tua, também vai ser o mesmo responsável por retirar o estatuto de património da humanidade do vale do douro vinhateiro.

Fonte do texto: João Luís Sousa
Publicado em 2011-12-15 no JN

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

10 anos da Classificação do Alto Douro Vinhateiro

Nos últimos dias vieram a publico noticias preocupantes da possível desclassificação do Alto Douro Vinhateiro pela UNESCO, devido á construção da Barragem de Foz Tua. A este propósito queremos mostrar a nossa preocupação e indignação com as más decisões acerca do futuro do Vale do Douro e do Tua!

Convidamos todos os defensores do Douro e do Vale do Tua a estarem presentes nas comemorações dos 10 anos do Douro Património da Humanidade e a vestir de Luto!
Tragam faixas e bandeiras negras! Vamos mostrar que não aceitamos a vergonha que é a Barragem do Tua!! Vamos fazer parar este crime!!

Francisco José Viegas Secretário de Estado da Cultura será um dos ilustres presentes nesta comemoração. Será muito importante a Vossa presença!

Apareçam na cidade de Peso da Régua, dia 14 de Dezembro, à entrada do Museu do Douro às 9.30h!
Apareçam e divulguem!!


From: Vila Real e Viseu QUERCUS quercus.vila.real.viseu@gmail.com

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Requiem pelo Vale do Tua

Música de Chico Gouveia
Chico Gouveia (guitarra portuguesa)
José Neves (guitarra clássica)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O que diz a comunicação social - Dez2011

 Outras notícias

Barragem do Tua pode levar a Região do Douro Vinhateiro a perder a classificação de Património da Humanidade


Património da Humanidade, ou Betão?

MCLT - Comunicado
Património da Humanidade, ou Betão?

Desde Junho de 2009 que o MCLT – Movimento Cívico pela Linha do Tua vinha a alertar para o perigo real de desclassificação do Douro Vinhateiro como Património da Humanidade, graças à construção da barragem do Tua. Finalmente a UNESCO veio confirmar o nosso receio, e não é com o pó de arroz de um galardoado arquitecto nacional que este problema será de todo contornado, demais a mais num edifício de 6 andares a apenas 500 metros da foz do Tua, tendo como enquadramento uma parede de betão de 100 metros de altura. Apenas lamentamos que a voz da UNESCO tenha sido “abafada” desde Agosto pelo actual Governo, uma prática já utilizada pelo anterior Governo no dossiê Tua.
A questão é agora incontornável: ou o Governo opta por deixar prosseguir uma barragem de Sócrates, cujos argumentos falaciosos para a sua construção foram todos rebatidos um a um por mais do que uma vez, ou opta por salvar a classificação do Douro Vinhateiro como Património da Humanidade, naquela que é a 3ª região turística mais importante do país.
Para além do silêncio do Governo sobre o arrasador relatório da UNESCO, registamos as infelizes bacoradas da Ministra Assunção Cristas, segundo a qual o paredão desta barragem já estaria construído, e que seria impossível agora parar com a construção da mesma por causa do encaixe financeiro do pagamento da EDP pela sua concessão, sendo que o seu impacte em área classificada nem seria muito grande. Na verdade, não existe paredão, é preferível parar com esta loucura já! E, como finalmente ficou a descoberto, a barragem do Tua, se construída, VAI levar à desclassificação do Douro Vinhateiro como Património da Humanidade, por muito que Francisco José Viegas diga o contrário. Aliás, contra aquilo que o Secretário de Estado disse, relembre-se o vergonhoso arquivamento do pedido de classificação da Linha do Tua como Património Nacional, para ver se a Cultura foi ou não ouvida sobre este assunto, sob os auspícios da nada saudosa Ministra Gabriela Canavilhas.
Já uma representante da UNESCO em Portugal, Clara Bertrand Cabral, a 21 de Novembro, dizia num tom de estupefacção “Nunca ouvi de que o Douro pudesse ser desclassificado, não sei de onde vem essa ideia porque aqui não temos qualquer informação sobre isso”, e ainda que “E nunca se falou sequer que o Douro pudesse ir para essa lista. Portanto não sei de onde vem essa ideia”. Todos sabemos agora de onde veio a ideia: da própria UNESCO.
É mais que lamentável, é criminosa, a forma como este Governo está a conduzir este assunto, num lavar de mãos abjecto e alarmantemente danoso para o país. Esta é a sua última oportunidade para, em consciência ou por obrigação, anular esta odiosa Parceria Público Privada, plena de destruição de riqueza e de valores económico-sociais e vazia de argumentos para a sua construção; não o fazendo, Passos Coelho junta a sua assinatura à de José Sócrates e Francisco José Viegas na destruição de Trás-os-Montes e Alto Douro, terra natal destas três personalidades.
Em anexo junta-se um mapa extraído do EIA (ano 2008), onde inequivocamente está representado o contorno da área classificada e os elementos da barragem.
Mapa constante no Estudo de Impacta Ambiental da Barragem do Tua

Pelo MCLT
Mirandela, 7 de Novembro de 2011