quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Parafusos na Linha do Tua


Quando no dia 24 de Agosto li a notícia de que "Jovens entregam parafusos "soltos" da linha à CP", pensei: - Ora aí está uma ideia interessante, educativa até...
Depois, continuei a pensar no assunto. Pode haver (e há) parafusos soltos ao longo da linha, mas nunca uma grande quantidade e em poucos metro (ou até quilómetros da linha).
Ao contrário do que alguns jornalistas quiseram fazer passar, não é fácil arrancar das travessas os ditos parafusos, mesmo quando estejam parcialmente soltos.

Daí, toca de procurar no meu "arquivo" de alguns milhares de fotografias, algumas que ilustrem o que digo.
A primeira fotografia mostra muitos parafusos "soltos" na linha. Querem saber aonde? Precisamente na estação da Brunheda. A fotografia mostra parafusos que foram substituídos, transportados para a estação e que, por alguma razão, ali ficaram durante algum tempo. A fotografia foi tirada no dia 18 de Julho de 2008, no quilómetro 21.º, ou seja na estação da Brunheda. Não sei se na altura do acidente todos os parafusos permaneciam no local, é bem possível que sim, uma vez que estavam onde não causavam qualquer estorvo. Será que era destes parafusos que os jornalistas falaram?!!
A segunda fotografia foi tirada no dia 12 de Julho de 2008, depois do quilómetro 36.º, já com o Vilarinho à vista. Esta fotografia prova que há realmente alguns parafusos soltos. Os três parafusos que estão cravados na travessa, estão parcialmente soltos, sendo possível retirar um deles com a mão.
Da minha experiência de mais de 100 km a pé pela linha posso dizer que, esta situação de parafusos soltos, é muito rara, não tendo visto mais de dois ou três casos. A falta de um parafuso, principalmente sendo do interior da linha, não acarreta grande risco para a circulação, e se a Refer fazia a manutenção da linha de 15 em 15 dias, estes casos já devem ter sido solucionados há muito.

6 comentários:

Anónimo disse...

Meu caro, quero deixar bem claro que não é necessário apanhar parafusos em depositos, não sei se representa alguma organização ou algum partido politico, mas quero deixar aqui o meu mais triste repudio pela ofensa de dignidade. somos tres jovens que percorremos a linha do Tua, desde a estação da Brunheda até ao local desta tragédia.
Ao termos organizado esta iniciativa foi no sentido de demonstrar ao Sr Cardoso dos Reis que não existe manutenção na linha, conforme este afirmou.
Peço desculpa. Esquecime ! o Sr Cardoso dos Reis é Presidente da CP , digo isto porque poderá não saber. Todos juntos somos poucos para defender este património que ainda é nosso. Sou uma pessoa que não admito suspeita sob os meus actos.
Agradeço que quando falar fale com certezas e não com afirmações que nada honram um homem que tem um blog.
Fico á espera que ponha no seu blog este descontentamento de uns jovens que honram o seu património.

RITA MANUELA - P O R T O

Anónimo disse...

então os parafusos que o Sr diz alem de estarem soltos não acarreta dificuldade de circulação e então o que diz,(como já fez mais de 100Km a pé) ás aberturas existentes na linha desde a Abrunheda até à foz do rio.
Depois de ler o seu Blog, só posso dizer que já não visita a linha á muito tempo.

Paula Silva

at ento disse...

Olá.
Eu li essa "aventura" na secção das cartas ao director, no Público, "...dos 3 jovens...blá...blá..."
tirar parafusos da linha é um crime, só pode e fazer disso edital???...para provar o quê?
Qualquer jovem estudante devia saber que a madeira seca com o calor. logo no Verão é normal que haja folga entre a madeira das traves dos carris e o parafuso que segura o carril, é normal, "ANORMAL É ANDAR A DESENROSCAR O DITOS PARAFUSOS" pois eles, mesmo com folga, cumprem a sua função daí não vem perigo, longitudinalmente o carril é seguro, o Parafuso só sai na vertical por acção de alguma mãos que o desenrosque logo se não o fizerem, é seguro.
Que a linha do Tua seja eterna e este pedaço do Reino Maravilhoso prevaleça sobre a avidez de protagonismos, pois só ama o património quem o respeita no seu estado natural e o preserva, um simples parafuso que seja deve estar no seu lugar.
Simples, não é?
Saudações com amizade.
At Ento

Caminheiro disse...

Olá Rita
Começo por clarificar que não pertenço a nenhuma organização nem partido político, embora simpatize com quem, como eu, defende a Linha do Tua. Não sei se os jovens que tiveram a iniciativa em questão pertencem a algum movimento, nem qual seria a sua verdadeira intenção. Sou livre de não acreditar que seja possível desaparafusar muitos parafusos desses num quilómetro que vai da Brunheda até ao local do acidente. Eu reafirmo que há parafusos soltos, que se tiram com a mão, mas são situações raríssimas em toda a extensão da linha.
A manutenção da linha pode não ser o suficiente, não sou especialista, mas estou a aprender algumas coisas. Sobre o meu conhecimento da linha, apenas digo, que nela andei nos meses de Março, Abril, Maio, Junho e Julho (de 2008). A minha última visita foi há quatro dias. Aproveito para convidar os jovens a juntarem-se a mim, num curto passeio pela linha, no próximo Sábado.

Anónimo disse...

boa noite
eu acho que não percebeu nada daquilo que disse, e qual foi o nosso objectivo com esta iniciativa, pronto, então eu passo a explicar:
O Sr ministro;A Srª Secretária de Estado;O Sr Cardoso dos Reis; os homens da Refer, todas estas figuras afirmaram que não existia problemas na linha, na automotora,na manutenção, então estes senhores não viram os parafusos soltos, as traves podres,carris com aberturas de 15 cm. O nosso objectivo, foi demonstrar que a linha está num estado lastimável, e penso que o Sr tambem concorda, ou não? volto-lhe a dizer todos juntos poderemos mudar algo, mas sempre sem interesse

Rita Manuela P O R T O

at ento disse...

olá.
Parece que a Rita Manuel PORTO, com letra grande, é que percebe tudo e pelos vistos não está para aprender...é uma pena, pois estamos sempre a prender. Assim "pregavam" os pensadores antigos nos quais bebem ainda as filosofias actuais.
Mas há pessoas assim vêem o que pensam e pronto.
Pelo menos, Rita Manuel PORTO, com letra grande, lê com atenção os escritos, ler faz bem aviva a mente e depois desperta o espírito.
Esperamos. Nós por cá continuamos a viver o Vale do Tua, sem ideias pré concebidas e citadinas sobre "os lá de riba"... a banda larga também já cá chegou há muito.
acho que deves aproveitar o convite do nosso amigo Caminheiro que como ninguém conhece estas paragens e luta com conhecimento, empenho e a lucidez dos espíritos superiores, sou eu que digo porque o conheço, ele de certeza que não penas assim.
Um abraço amigo e vivam as boas causas nas quais devemos por todas as nossas energias.
At Ento